Trabalhadores da RTP fazem vigília frente à residência oficial de Passos Coelho

Trabalhadores da RTP fazem vigília frente à residência oficial de Passos Coelho

15-09-2012

Os trabalhadores da RTP vão promover na segunda-feira, dia 17 de Setembro, uma vigília em frente à residência oficial do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, em protesto contra as «intenções do Governo» para o futuro da empresa.

Em nota divulgada às redacções, e resultante de um plenário decorrido na sede da empresa em Lisboa e nas delegações do Porto, Madeira e Açores, os sindicatos que representam os trabalhadores da RTP dizem que a vigília, a decorrer pelas 19:30, será feita «em defesa do serviço público de rádio e de televisão», num momento em que se discutem os cenários em torno da privatização ou concessão a privados da empresa.

Os trabalhadores concordaram ainda em «deslocar-se com os dirigentes sindicais» à Presidência da República na sexta-feira à tarde para entregar a Cavaco Silva uma moção proposta pelos sindicatos aos trabalhadores e aprovada recente-mente, visando também a defesa do serviço público de comunicação.

A nomeação na semana passada de um novo conselho de administração da RTP, com Alberto da Ponte à cabeça, «não altera o problema de fundo com que os trabalhadores estão confrontados, uma vez que o Governo continua empenhado em desmembrar e privatizar a RTP com as inevitáveis consequências daí decorrentes», apontam os quadros da empresa.

A «destruição de postos de trabalho» e a «liquidação do serviço público de rádio e de televisão» estão entre as preocupações cimeiras dos trabalhadores.

O comunicado de dia 12/Set diz ainda que foi decidido pelos trabalhadores participar «nas acções de luta que as centrais sindicais venham a promover em protesto contra as medidas de austeridade que o Governo pretende impor aos trabalhadores, reformados e pensionistas». LA

Fontes

Comissão de Trabalhadores da RTP

Editores: 
Secção: 
Etiquetas: